Planejar-Executar-Verificar-Agir (PDCA)

O ciclo do PDCA, juntamente com “Elimine desperdícios” e os outros princípios, são considerados como a razão por trás de como fazemos as coisas e vão guiar as escolhas que faremos na hora de adaptar e criar práticas e técnicas. Entenda neste post o primeiro dos princípios que está por trás das práticas da Inovação Enxuta.

Crie hipóteses antes de investir tempo e esforço

Então você teve uma idéia fantástica que vai revolucionar o mundo e/ou lhe trazer muito dinheiro. Seu primeiro passo é correr para implementar logo o novo produto/serviço antes que competidores o façam, certo? Errado! Seguindo a Inovação Enxuta (ou qualquer Gestão da Inovação) isso pode até ser seu próximo passo, mas antes de jogar tempo, esforço e dinheiro fora, passe uma horinha que seja pensando bem quais são as hipóteses que você acha que vão fazer do seu produto uma grande inovação. Neste post explico como fazer isso e qual o objetivo desta prática.

Princípios e Práticas da Inovação Enxuta

Ao querer mudar radicalmente a maneira como gerencia a Inovação, uma equipe pode querer adotar novas práticas e técnicas ou pode querer entender e estudar profundamente os princípios por trás daquelas técnicas antes de usá-las, talvez até modificando-as para adequar-se melhor a situação. Neste post, comento um pouco desta dicotomia e como estarei tratando-a na série sobre Inovação Enxuta

Inovação Enxuta

Apesar da primeira frase, esse post não é apenas um daqueles testes de raciocínio a começar com “responda rápido”. A ideia, aqui, é chamar atenção para uma coisa essencial em startups e inovações: O tempo que a equipe/empresa leva para criar e responder hipóteses sobre novos produtos. Neste post, falo um pouco sobre a importância dessa pergunta e sugiro uma nova abordagem para o problema da inovação: a “Inovação Enxuta”.